O diálogo como instrumento pedagógico: contribuições de Sócrates e Martin Buber

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rppoi.v20.74572

Palavras-chave:

Diálogo. Dialógico. Educação., Humanização.

Resumo

Ao partir das filosofias de Sócrates e de Martin Buber, este artigo procura avaliar o princípio do diálogo como possível instrumento pedagógico para os desafios da educação contemporânea. Para fundamentar nossa reflexão, investigamos o legado socrático, perscrutando suas possíveis influências no existencialismo contemporâneo, principalmente no pensamento Buberiano. E, ainda, verificamos as contribuições do diálogo para o processo de ensino-aprendizagem de nosso século; explicitamos fatores que contribuem, dificultam e/ou inviabilizam a vivência do autêntico diálogo; além de discorrer sobre possíveis implicações da pedagogia do diálogo nas relações interpessoais e no processo cognitivo. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica de textos filosóficos. O resultado esperado é que possamos contribuir com educadores/as que almejam fomentar uma educação humanizada e humanizante.  Concluímos que as teorias de Sócrates e de Buber beneficiam a vivência de relações inter-humanas, nas quais o diálogo e o dialógico possam ser efetivamente vividos. Sendo assim, inferimos que o diálogo, enquanto instrumento pedagógico, favorece o autoconhecimento, o mútuo (re)conhecimento, a acolhida, a aceitação e o respeito entre os dialogantes, o que favorece o processo de ensinar e o de aprender. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manoel Messias de Oliveira, Universidade Federal de Catalão

É professor da Universidade Federal de Catalão. Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Graduação em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, especialização em Ciência da Religião e em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia, mestrado em Filosofia e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia. Tem experiência acadêmica nas áreas de Filosofia, História, Teologia e Educação. Atualmente coordena projeto de pesquisa relacionado às áreas da Fenomenologia e do Existencialismo. Estuda os seguintes temas: Fenomenologia; Existencialismo; Filosofia moderna e Contemporânea; Filosofia da Educação; Ética; Ética empresarial; Filosofia Política; Ensino Médio; História da Educação; História da Filosofia e Filosofia da História.

Armindo Quillici Neto, Universidade Federal de Uberlândia

Armindo Quillici Neto- E-mail: armindo@ufu.br
Professor de Filosofia da Educação do Curso de Pedagogia, do Instituto de Ciências Humanas do Pontal - ICHPO, da Universidade Federal de Uberlândia – UFU. Atua na Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação - FACED/UFU, na linha de pesquisa de História e Historiografia da Educação, com orientação no Mestrado e no Doutorado, em História das Instituições Escolares, Pensamento Pedagógico Brasileiro, Intelectuais da Educação, etc. Participa do Núcleo de Estudos e Pesquisas em História e Historiografia da Educação (NEPHE) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação (NEPE).

Referências

ARISTÓTELES. Política. Trad. Therezinha Monteiro Deutsch Baby Abrão. São Paulo: Nova Cultural, 2004.

BUBER, Martin. Eu e Tu. Tradução Newton Aquiles Von Zuben. São Paulo: Centauro, 2006.

BUBER, Martin. Do diálogo e do dialógico. Tradução Marta Ekstein de Souza Queiroz e Regina Weinberg. São Paulo: Perspectiva, 2009.

MOUNIER, Emmanuel. Introdução aos existencialismos. Tradução de João Benard da Costa. São Paulo: Duas Cidades, 1963.

MOUNIER, Emmanuel. Introduction aux existentialismes. Rennes : Presses Universitaires de Rennes, 2010.

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Sócrates, o Mestre da Grécia e do Mundo. In: Apologia de Sócrates. Coleção A obra prima de cada autor. São Paulo: Martins Claret, 1999.

OLIVEIRA. Manoel Messias. A experiência da alteridade no pensamento de Gabriel Marcel. 2011. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Artes, Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia-MG, Uberlândia, 2011.

OLIVEIRA, Manoel Messias. Contribuições de Martin Buber, Gabriel Marcel e Emmanuel Mounier no processo de humanização do ambiente educacional no Ensino Médio da cidade de Uberlândia. 2019. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade Federal de Uberlândia-MG, Uberlândia, 2019.

PLATÃO. Apologia de Sócrates. São Paulo: Martins Claret, 1999. p. 39 – 80. Coleção A obra prima de cada autor.

PLATÃO. Banquete. In: Apologia de Sócrates. São Paulo: Martins Claret, 1999. p. 87 – 174. Coleção A obra prima de cada autor.

PLATÃO. Diálogos: Teeteto; Crátilo. Trad. Carlos Alberto Nunes. 3ª ed. Belém: UFPA, 2001a.

PLATÃO. Mênon. Trad. Maura Iglésias. Rio de Janeiro: PUC-Rio; Loyola, 2001b.

VON ZUBEN, Newton Aquiles. Introdução; Post-scriptum e notas. In: BUBER, Martin. Eu e Tu. Tradução Newton Aquiles Von Zuben. São Paulo: Centauro, 2006

VON ZUBEN, Newton Aquiles. Prefácio do tradudor. In: BUBER, Martin. Do diálogo e do dialógico. Tradução Newton Aquiles Von Zuben. São Paulo: Cortez e Moraes, 2009.

XENOFONTE. Ditos e Feitos Memoráveis de Sócrates. In: Sócrates. Trad. De Mirtes Coscodai. São Paulo: Nova Cultural, 2004.

ZILLES, Urbano. Gabriel Marcel e o existencialismo. Porto Alegre: PUCRS: Academia, 1995.

Downloads

Publicado

2023-06-08