A escolha do livro didático de Ciências da Natureza na Educação de Jovens e Adultos: descobertas de uma pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rppoi.v20.73234

Palavras-chave:

Educação de Jovens e Adultos, Livro didático, Formação de Professores, Currículo

Resumo

O presente artigo é um recorte dos resultados de uma dissertação de mestrado, acerca do uso do Livro Didático (LD) de Ciências da Natureza, pelos professores de Biologia, na Educação de Jovens e Adultos (EJA) da rede estadual de ensino de Goiás. Considerando o LD como uma política pública educacional para a referida modalidade, a pergunta que impulsionou a investigação foi: como ocorre a escolha do LD na EJA e quais suas consequências para a prática pedagógica? Nessa direção, o objetivo consistiu em analisar o processo de escolha do livro didático de ciências da natureza para o ensino médio, refletindo, na perspectiva freireana, acerca das consequências no planejamento e na execução das aulas, ocasionadas pelo desdobramento dessa política pública educacional. Para o desenvolvimento da pesquisa com abordagem qualitativa, de natureza bibliográfica e instrumental, analisou-se documentos que direcionavam o processo de escolha e foram aplicados questionários semiabertos aos 14 (catorze) professores de Biologia, dos Centros de Educação de Jovens e Adultos da rede de ensino estadual. Conclui-se que o programa nacional do LD para a EJA é novo e necessita de aprimoramento que envolva temas como formação de professores e currículo, para que o processo de escolha, bem como o uso propriamente dito desse instrumento pedagógico, seja realmente significativo ao educando.

Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos; Livro Didático; Formação de professores; Currículo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabíola Correia de S. A. Moreira, Universidade Federal de Goiás

ossui Graduação em Ciências Biológicas (Licenciatura Plena) pela Universidade Federal de Goiás (2003); Especialização em Ciências da Natureza - Biologia pela UnB ( 2006) e Especialização em Gestão e Avaliação da Educação Pública pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2013); Mestrado em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Goiás (UFG) (2017). É professora efetiva da rede pública estadual e municipal (Goiânia). Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG.

Marilda Shuvartz, Universidade Federal de Goiás

Graduada em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1985), Mestrado em Educação Escolar Brasileira pela Universidade Federal de Goiás (1995) e Doutorado em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (2006). Docente aposentada do Instituto de Ciências Biológicas onde também coordenou o Núcleo de Educação em Ciências e Meio Ambiente-NECIMA. Foi Coordenadora de estagios da UFG ( 2006- 2013). Atualmente é Professora do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências e Matematica, (UFG) onde tua na área de Educação em Ciências e Meio Ambiente principalmente nas linhas educação ambiental, ensino de biologia e ciências e formação de professores. Membro da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBIO).

Referências

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Parecer 11 CNE/CEB de 10 de maio de 2000. Brasília, DF, 2000.

_______. Constituição da República Federativa do Brasil: Texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nº 1/1992 a 56/2007 e pelas Emendas Constitucionais de revisão nº 1 a 6/1994 – 26 ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2008.

_______. Guia dos Livros Didáticos do PNLD EJA 2014. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Natal: EDUFRN, 2014.

CASSAB, M.; MARTINS, I. Significações de professores de Ciências a respeito do livro didático. Revista. Ensaio. Belo Horizonte, 10, 01, 113-136, jan-jun, 2008.

FÁVERO, O.; FREITAS, M. A Educação de Adultos e Jovens e Adultos: um olhar sobre o passado e o presente. INTER-AÇÃO. Revista da Faculdade de Educação, UFG, 36, 2, 365-392. Jul./dez. – Goiânia: FE/PPGE/UFG, 2011.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 13 ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983.

GIBBS, G. Análise de dados quantitativos. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GOIÁS. Diretrizes da Educação de Jovens e Adultos do Estado de Goiás (Minuta para discussão). (Manuscrito não publicado). Secretaria de Educação, Goiás, 2010.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de educação. Mai/jun/jul/ago, 14, 2000.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez. (Coleção magistério. Série formação do professor), 1994.A

NASCIMENTO, V. S. do. O ensino de química na educação de jovens e adultos: sobre o conceito de substância. Dissertação para título de mestre em Educação em Ciências e Matemática. Universidade Federal de Goiás. Pró-Reitoria de Pós-Graduação. Goiânia, 2015.

SILVA, T. T. da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias de currículo. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2013.

Downloads

Publicado

2022-12-31