Linguagem: Estudos e Pesquisas https://periodicos.ufcat.edu.br/lep <p>A revista Linguagem: Estudos e Pesquisas publica nas áreas da Linguística e Literaturas e áreas afins cujo objeto de investigação seja linguagem. Para mais informações, acesse <a href="https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/about" target="_blank" rel="noopener">Sobre a revista</a>.<br />- ISSN eletrônico: 2358-1042<br />- Ano de criação: 2004<br />- Qualis: A4<br />- Revista vinculada ao <a href="https://ppgel.catalao.ufg.br/" target="_blank" rel="noopener">Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Federal de Catalão (UFCAT)</a>.<br />- <a href="https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/about/contact" target="_blank" rel="noopener">Contato</a></p> Universidade Federal de Catalão pt-BR Linguagem: Estudos e Pesquisas 2358-1042 <p style="text-align: justify;">Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <ol style="text-align: justify;"> <li class="show">Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Creative Commons Attribution License</a>, que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li class="show">Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li class="show">Caso o artigo submetido seja aprovado para publicação, JÁ FICA ACORDADO QUE o autor AUTORIZA a UFG a reproduzi-lo e publicá-lo na Revista <em>Linguagem: estudos e pesquisas</em>, entendendo-se os termos “reprodução” e “publicação” conforme definição respectivamente dos incisos VI e I do artigo 5° da Lei 9610/98. O ARTIGO poderá ser acessado tanto pela rede mundial de computadores (www – Internet), como pela versão impressa, sendo permitidas, A TÍTULO GRATUITO, a consulta e a reprodução de exemplar do ARTIGO para uso próprio de quem a consulta. ESSA autorização de publicação não tem limitação de tempo, FICANDO A UFG responsável pela manutenção da identificação DO AUTOR do ARTIGO.</li> <li class="show">Feitas todas as correções indicadas pelos editores e pareceristas e após o aceite final, os autores deverão enviar um documento assinado para os e-<em>mails</em> da revista nos seguintes termos:</li> </ol> <p style="text-align: justify;">&nbsp;</p> <p style="text-align: justify;">DECLARAÇÃO DE ORIGINALIDADE E CESSÃO DE DIREITOS AUTORAIS Declaro que o presente artigo é original, não tendo sido submetido a publicação em qualquer <strong>outro periódico nacional ou internacional</strong>, quer seja em parte ou em sua totalidade. Declaro, ainda, que uma vez publicado na revista <em>Linguagem: Estudos e Pesquisas</em>, editada pela Universidade Federal de Goiás, o mesmo jamais será submetido por mim ou por qualquer um dos demais co-autores a qualquer outro meio de divulgação científica. Através deste instrumento, em meu nome e em nome dos demais co-autores, porventura existentes, cedo os direitos autorais do referido artigo à Universidade Federal de Goiás e declaro estar ciente de que a não observância deste compromisso submeterá o infrator a sanções e penas previstas na Lei de Proteção de Direitos Autorias (Nº9609, de 19/02/98).</p> A PRÁTICA DE ENSINO DE CIÊNCIAS E QUÍMICA NA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: UM MAPEAMENTO DAS PUBLICAÇÕES NO CATÁLOGO DA CAPES https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/71624 <p>Este trabalho objetiva apresentar o mapeamento das publicações nacionais sobre o ensino de Ciências e Química na Educação Escolar Indígena (EEI), realizado no Catálogo de Teses Dissertações da CAPES, e, entre os trabalhos encontrados, a análise das práticas de ensino envolvendo Ciências e Química na Educação Escolar Indígena, relacionando com os conteúdos propostos pelos documentos oficiais (Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena, Diretrizes Nacionais para o Ensino Fundamental II e o Ensino Médio, e BNCC referente a esses dois níveis de ensino) e os saberes e tradições de diferentes grupos indígenas. Com isso, buscou-se visibilizar as histórias, culturas e conhecimentos indígenas, no contraponto à visão eurocêntrica presente em diversos documentos analisados, bem como contribuir para que haja um parâmetro quantitativo das publicações, a partir do banco de dados da CAPES, acerca da Educação Escolar Indígena e o Ensino de Ciências e Química, trazendo, ainda, reflexões sobre a importância de incorporar a temática indígena em diversos campos de estudo e áreas do conhecimento.</p> Eva Aparecida da SILVA Karen Chibana FERREIRA Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 15 27 10.5216/lep.v25i1.71624 O PROCESSO DE ESTADUALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA NO ESTADO DE PERNAMBUCO E OS DESAFIOS PARA ELABORAÇÃO DE UM CURRÍCULO INTERCULTURAL https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/71627 <p>O presente artigo busca refletir sobre o processo de Estadualização da Educação Escolar Indígena no estado de Pernambuco e os desafios para elaboração de um currículo intercultural das escolas indígenas. Nossas reflexões foram realizadas a partir das abordagens teóricas de: Lopes (2004), Santiago (1998), entre outros. No percurso metodológico fizemos uso de uma perspectiva etnográfica crítica (GEERTZ, 2002; FABIAN, 2013; CLIFFORD, 2002) e no processo de coleta dos dados trabalhamos com uma perspectiva dialógica (CRAPANZANO, 1991). Neste sentido, a partir das reflexões realizadas é possível compreender que há uma nítida dificuldade por parte do Estado em reconhecer a escola indígena intercultural como espaços epistêmicos e os povos indígenas que o habitam como produtores de conhecimentos.</p> Diana Cibele de Assis FERREIRA Kátia Silva CUNHA Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 29 42 10.5216/lep.v25i1.71627 REMANDO NAS REDES SOCIAIS: O DESAFIO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR KOKAMA EM TEMPOS DE PANDEMIA https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/71630 <p>O objetivo deste artigo é apresentar a reelaboração da educação escolar Kokama em tempo de pandemia de Covid-19, as formas de adaptação à imposição do distanciamento social, realçando o uso de tecnologias e a criação de materiais didáticos e recursos pedagógicos inovadores, criativos e lúdicos. O texto faz uma síntese das iniciativas do povo Kokama, em especial a partir da experiência da autora - professora e pesquisadora indígena - destacando o resultado do empenho de diversos agentes e instituições, como o movimento indígena e universidades públicas, ao enfrentaram os desafios de reelaborar a escola indígena neste contexto. Salienta-se o atual papel do ensino da língua Kokama, outrora quase desaparecida, que objetiva sua vitalização e que conta hoje com aplicativos de celular desenvolvidos especialmente para este fim. Além da observação participante, os procedimentos metodológicos incluíram a revisão bibliográfica e de fontes jornalísticas e a pesquisa narrativa.</p> Altaci Corrêa RUBIM Sheilla Borges DOURADO Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 43 60 10.5216/lep.v25i1.71630 MULHERES E VIOLÊNCIA NO CANGAÇO: BREVE HISTÓRIA DE VIDA DE MARIA BONITA E DADÁ https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/71659 <p>No presente artigo procuramos mostrar um pouco sobre a vida de dois nomes femininos, ícones do movimento cangaço, a partir de pesquisa bibliográfica. Movimento esse que teve Lampião como personagem principal. Mas aqui falaremos apenas dessas duas mulheres, pois necessário se faz que o cangaço também seja mostrado por meio da ótica feminina. Foram mulheres que sofreram violência e lutaram, mas que também quebraram um pouco do estigma do que era a vida da mulher sertaneja naquelas paragens. Ou seja, elas ousaram sair do contexto em que estavam inseridas, de apenas trabalharem na roça ao lado dos pais. Depois, ainda muito cedo, se casavam e iam fazer a mesma coisa ao lado do marido. Geração após geração era essa mesmice a vida da mulher no sertão nordestino. Ao falarmos sobre Maria Bonita e Dadá, estamos falando de mulheres, que ao lado de Lampião e de outros cangaceiros, compuseram um movimento que ainda é estudado e pesquisado por muitos. E, também, narrado por escritores, especialmente, os de cordel, que contam a história de seus personagens, fazendo assim com que o cangaço não caia no esquecimento.</p> Maria Carreiro Chaves PEREIRA Erlando Silva RÊSES Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 61 70 10.5216/lep.v25i1.71659 PORNOGRAFIA DA MORTE: UMA LEITURA DE MULHERES EMPILHADAS, DE PATRÍCIA MELO https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/71660 <p>Este artigo analisa a representação da violência de gênero no romance <em>Mulheres Empilhadas </em>(2019), de Patrícia Melo, em elementos como a masculinidade tóxica e a pornografia. A análise aqui proposta se vale de dados oficiais acerca da violência contra a mulher no Brasil, assim como de conceitos relevantes aos estudos de gênero. Tendo o feminicídio como tema central, o livro também aborda questões congêneres, como o sexismo presente no sistema judiciário, ainda regido por uma mentalidade patriarcal, e mostra como a ficção pode refletir a realidade ao mesmo tempo em que a questiona. A hipótese é a de que, ao tratar da pornografia—desde a comercial até o <em>revenge porn</em>—a autora-criadora mostra que sua visão de mundo está alinhada à das feministas anti-pornografia, que entendem esse tipo de conteúdo como um dos pilares que sustentam a misoginia.</p> Pauliane AMARAL Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 71 84 10.5216/lep.v25i1.71660 UMA INCURSÃO PELOS GÊNEROS MULTIMODAIS EM LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA MATERNA DO SEXTO ANO https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/74474 <p>O presente texto é um recorte da pesquisa em desenvolvimento: “Nas páginas dos livros didáticos de língua portuguesa do sexto ano: uma reflexão sobre os gêneros multimodais”. O objetivo deste estudo é analisar e compreender o uso dos gêneros multimodais em livros didáticos de Língua Portuguesa do sexto ano do Ensino Fundamental. A pesquisa vincula-se na área de Linguística Aplicada, abordagem qualitativa e cunho documental. A fundamentação teórica pautou-se em: Bakhtin (2003); Bezerra (2010); Bittencourt (2008, 2020); Bunzen e Abreu-Tardelli (2020); Cassiano (2013); Freitag, Motta e Costa (1997); Gualberto, Pimenta e Santos (2018); Kress e Leeuwen (1996); Munakata (2012); Razzini (2000); Rojo e Moura (2012) e Soares (2002). O estudo encontra-se em fase de conclusão. Até o momento, verificou-se que as fontes documentais analisadas apresentaram o estudo dos gêneros textuais como protagonistas de capítulos e unidades. Especificamente acerca dos gêneros multimodais, objeto de estudo, percebeu-se o trabalho com HQs, anúncio publicitário, propaganda e poema visual, ciberpoema e infográfico como parte integrante de capítulo.</p> Luiz Fabiano Braga dos SANTOS Selma Martines PERES Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 85 108 10.5216/lep.v25i1.74474 NÚMERO COMPLETO https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/74475 <p>Este arquivo contém o número completo da revista (vol. 25, n. 1).</p> Maria Helena de PAULA Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 1 109 10.5216/lep.v25i1.74475 EXPEDIENTE https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/74476 <p>Revista do Programa de Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em> – Mestrado e Doutorado em Estudos da Linguagem – do Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Catalão – UFCAT</p> <p>jan./jun. – 2021</p> Maria Helena de PAULA Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 1 12 EDITORIAL https://periodicos.ufcat.edu.br/lep/article/view/74477 <p>Editorial do vol. 25, n. 1, da Revista Linguagem: Estudos e Pesquisas.</p> Áurea Cavalcante SANTANA Francisco Edviges ALBUQUERQUE Jozimar Luciovanio BERNARDO Copyright (c) 2022 Linguagem: Estudos e Pesquisas https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/ 2022-01-26 2022-01-26 25 1 13 14 10.5216/lep.v25i1.74477