REPENSANDO A HISTÓRIA DA(S) AMÉRICA(S): A MÚSICA NA RESISTÊNCIA À ESCRAVIDÃO NAS COLÔNIAS ESPANHOLAS E INGLESAS

Autores

  • Giovana Eloá Mantovani Mulza Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5216/emb.v20i02.74672

Resumo

A resistência à dominação europeia assumiu diversas formas nas Américas espanhola e inglesa. Apesar das distinções estruturais
nos sistemas coloniais ali implantados, a escravidão foi uma importante instituição na produção e extração de gêneros. Fosse
através dos povos nativos ou através de comunidades "importadas", o não-europeu era concebido como criatura inferior e, portanto, apta aos trabalhos ditos como vulgares. No decorrer do períodoque compôs a escravidão nas Américas, povos indígenas e africanos encontraram formas de resistência que se manifestaram também de forma camuflada expressando-se, inclusive, através das músicas. Fundamentados no campo da infrapolítica e no conceito de tática deMichel de Certeau (1998), buscaremos compreender o importante papel desempenhado pelas canções na resistência à escravidão na História do continente americano, observando as singularidades de cada contexto.

Biografia do Autor

Giovana Eloá Mantovani Mulza, Universidade Estadual de Maringá

Historiadora e Mestranda em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Publicado

2023-12-15